A história dos primeiros motores a jato


.
.

Embora o engenheiro e piloto britânico Frank Whittle tenha sido o primeiro a registar uma patente e a testar com sucesso um turborreactor, o fisico alemão Hans Von Ohain é considerado o designer do primeiro turbojato operacionalmente viavel. O seu motor (Heinkel HeS 3b) foi o primeiro turbojato a propulsionar integralmente o voo de uma aeronave, o Heinkel He 178, em agosto de 1939, enquanto que, o motor de Whittle (Whittle W1) só realizaria um feito idêntico em maio de 1941, ao impulsionar o primeiro voo do protótipo demonstrador de tecnologia Gloster E.28/39.

Alberto Santos Dumont - Pai da aviação



.
.
.
Passados 85 anos de seu trágico último ato, em 23 de julho de 1932, durante a Revolução Constitucionalista brasileira, Alberto Santos Dumont continua a ser para a maioria dos brasileiros o maior herói científico que o país já teve. Muitos brasileiros conhecem a sua saga, contada e recontada nos livros escolares, mas para o resto do mundo Alberto Santos Dumont é digno de pouco mais do que uma nota de rodapé nos livros de história, com os seus feitos no domínio da conquista do ar ofuscados pelos largamente divulgados feitos dos irmãos Wilbur Wright e Orville Wright, seus contemporâneos. 

O voo de João de Almeida Torto (Viseu, 1540)


.
.
.
João de Almeida Torto terá sido um português residente em Viseu que em 1540 terá tentado voar com um sistema de asas inventado e fabricado por si mesmo. Conta-se que em 20 de Junho de 1540, João Torto terá subido ao cimo da Sé de Viseu onde havia construído, com a permissão da Igreja, uma rampa de lançamento, para daí se lançar com as asas que inventara. A experiência teve lugar por volta da cinco horas da tarde, perante uma multidão expectante. De acordo com os relatos da época, terá conseguido em parte voar, tendo aterrado em cima do telhado da Capela de São Mateus, mas logo tombando sobre as asas, o que lhe provocou lesões que o conduziram à morte.

Bartolomeu de Gusmão o "Padre Voador"

.
.
.
.
Os franceses pretendem ter a glória da descoberta dos aeróstatos, dizendo que é devida aos irmãos Joseph-Michel e Jacques-Étienne Montgolfier, de Annonay, no ano de 1783. Tal que a partir de 13 de Agosto de 1883 solenizaram naquela pequena cidade, o seu centenário, como berço da aerostatação. 
Está porém, bem documentado, que o padre luso-brasileiro Bartolomeu Lourenço de Gusmão, inventara uma "instrumento de andar sobre o ar", três quartos de século antes das experiências dos irmãos Montgolfier, em 1709, e sonhara com um engenho que permitiria ao seu possuidor, dominar o mundo.

Cronologia da aeronáutica e aviação militar em Portugal

.
.

.

.
O interesse pela aeronáutica começou muito cedo em Portugal.
Como lenda ou facto histórico, tudo terá começado quando, em 1540, João Almeida Torto se lançou da torre da Sé de Viseu com umas asas rudimentares, por ele próprio construidas, presas ao corpo. Continuou com o pioneiro da aerostatação, o Padre Bartolomeu de Gusmão, e a sua apresentação à corte portuguesa em 1740.
Na primeira metade do Século XX muitos foram os feitos concretizados por aviadores portugueses, onde o mais conhecido é a primeira travessia do Atlântico Sul levada a cabo por Gago Coutinho e Sacadura Cabral. 
Apresento aqui uma pequena cronologia do percurso da aeronáutica e aviação militar em Portugal até aos dias de hoje.